terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Novo número do Boletim Informativo da SAMFTPJ









Mais um número do Boletim Informativo da SAMFTPJ.

Subscrevemos os votos de Boas Festas.

domingo, 14 de dezembro de 2008

II Encontro Transfronteiriço de Museologia "Mouseion" *



Vista parcial duma das mesas do Encontro, 13 de Dezembro, com representação de Mesa de debate com as Associações de Amigos. Na ponta direita a Presidente da Sociedade de Amigos do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior (Fotografia de Luís Norberto Lourenço).



Mesa na manhã do dia 14 de Dezembro de 2008, por ocasião da apresentação e discussão das conclusões onde foi apresentada a ideia da constituição dum Observatório de Museus. O segundo da esquerda é o director do Museu de Cáceres, o Dr. Juan M. Valadés Sierra (Foto LNL)



Fachada do Museo de Cáceres (Foto LNL)



Fachada do Museu Aqueológico Provincial de Caceres (Museo de Cáceres) que acolheu o encontro (Foto de LNL)



Pubicação "Guía de Museos y Colecciones de Extremadura", editada pela Junta de Extremadura, em 2007.



Uma das notícias sobre o evento, publicada a 14 de Dezembro, no diário "Hoy de Extremadura".

Acabou esta manhã o II Encontro Transfronteiriço de Museologia - Mouseion, o qual decorreu em Cáceres (Extremadura, Espanha), de 12 a 14 de Dezembro de 2008.
Aqui fica esta primeira e breve nota.

*Por: Luís Norberto Lourenço
(sócio da SAMFTPJ, presente no encontro)

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Mouseion - II Encontro Transfronteiriço de Museologia





O programa...

"Mouseion - II Encontro Transfronteiriço de Museologia" sobre "A função social dos museus", a 12, 13 e 14 de Dezembro de 2008, no Museu de Cáceres, em Espanha.
Organizam: Adaegina, Junta da Extremadura e Museu de Cáceres.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Exposição de pintura "Caligrafias - um espaço, um limiar" no Museu Francisco Tavares Proença Júnior

Museu Tavares Proença: CONVITE

O Museu Francisco Tavares Proença Júnior vai inaugurar no dia 31 de Outubro (sexta feira) às 17.00 horas a exposição de pintura "Caligrafias - um espaço, um limiar" comissariada por Maria João Fernandes.
Vão estar expostas 60 obras de artistas num projecto onde se relaciona a palavra com a imagem, a poesia com a pintura e que permite a inclusão na exposição de obras da colecção de pintura contemporânea pertencentes à da colecção do MFTPJ.
Museu de Francisco Tavares Proença Júnior
Largo José Lopes Dias
6000-462 Castelo Branco
PORTUGAL
Tel: +351 272 344 277
Fax: +351 272 347 880

domingo, 5 de outubro de 2008

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Museu de Arte e Cultura*

MUSEU DE ARTE E CULTURA
Consciente de que o Património constitui um importante elo de ligação entre gerações, a Câmara Municipal da Covilhã tem valorizado o espólio patrimonial de forma a reforçar os laços temporais e afectivos entre pessoas e lugares, contribuindo para que cada geração encontre motivações fortes para considerar este Património como um activo de todos.
O novo espaço de cultura, sito na Rua António Augusto d´Aguiar, inaugurado no dia um de Agosto de 2008 surge como um convite ao cidadão para participar na descoberta da vasta herança histórico-cultural covilhanense, partilhando e dando a conhecer, não só a riqueza patrimonial local, mas também a sua história, inerente às obras que produz e ao significado de que é portadora.
O Edifício
Construído no início do séc. XX, segundo um projecto da autoria do Arquitecto Ernesto Korrodi, manifesta uma gramática formal de inspiração neoclássica.
A fachada apresenta uma decoração simples com elementos clássicos. Sendo o piso térreo de aparelho isódomo e os restantes revestidos por um painel de azulejos com os motivos alegóricos da Fama de Mercúrio, ligados ao Comércio. São ainda visíveis elementos referentes à grande epopeia dos Descobrimentos.
Albergou até à década de 80 do século passado o Banco Nacional Ultramarino.
A Exposição
PATRIMONIVS é o nome da exposição permanente do Museu de Arte e Cultura, instalada num edifício que já albergou o Banco Nacional Ultramarino e, que por si só já faz parte da memória dos Covilhanenses.
Constituído no início do séc. XX, segundo um projecto do Arquitecto Ernesto Korrodi, este Museu expõe agora um conjunto de mais de cem obras de arte, de cariz religioso e arquitectónico, que fazem parte da colecção reunida pelo Município da Covilhã e que retratam uma parte da história patrimonial deste vasto Concelho.
A exposição estará repartida por cinco pisos e convida o visitante a fazer uma viagem pela história da nossa cidade, através de diversificados testemunhos, desde a pré-história aos dias de hoje.
Piso -1 "Património Histórico e Arqueológico"
Piso 00 "Património Religioso"
Piso 01 "Pintura Religiosa"
Piso 02 "Arte Civil"
Piso 03 "Arte Contemporânea"
Do espólio arqueológico a apresentar salienta-se a "pedra do guerreiro", uma peça da Idade do Ferro; várias peças de cerâmica, numismática e ungentários da época romana. A enriquecer a colecção estarão ainda patentes ao público reproduções dos documentos mais significativos da história da nossa Cidade, desde pergaminhos medievais a contemporâneos.
Os visitante poderá ainda admirar um vasto conjunto de obras de arte, pinturas, esculturas e objectos de arte sacra e civil, recentemente recuperadas pelo Município, das quais se destacam alguns quadros de Morais do Convento e de Eduardo Malta, afamados artistas covilhanenses.
A arte contemporânea também não foi esquecida, estando o ultimo piso reservado às obras de alguns artistas que actualmente enriquecem a nosso universo cultural.
Até ao final do ano a Câmara Municipal da Covilhã irá aumentar o espólio em exposição no Museu, tendo em conta as peças que se encontram em fase de estudo/inventariação e restauro.  
Horário de Funcionamento
De Terça-feira a Sexta-feira, das 10h00 às 20h00
Sábados, das 14h00 às 20h00
Encerra aos Domingos e Feriados.
Marcação de Visitas
O museu oferece ainda a possibilidade de marcação de visita prévia para grupos [10 a 15 pessoas] em diversas línguas: Português, Francês, Inglês e Espanhol, através do telefone [ 351] 275313352.

*Texto copiado integralmente site da autarquia serrana.

Nota breve:
De saudar o facto deste museu só fechar às 20h.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Apelo em BD a visita à última exposição no MFTPJ merece destaque na imprensa



Publicado no "Diário XXI" de hoje.
O amigo Veríssimo merecia este destaque!
Um abraço para o Veríssimo e sigam o seu conselho
e tragam um Amigo também ou  venham mais cinco...

O original está aqui:
http://1.bp.blogspot.com/_tBQxUnczfRk/SJBsRGfaAYI/AAAAAAAABvc/9iZMw1iG2ao/s320/Tira.jpg

terça-feira, 22 de julho de 2008

Museu Francisco Tavares Proença Júnior recebe mais 30% de visitantes*

Notícia publicada no "Diário XXI" de hoje, um excerto:



Em Castelo Branco, o espaço teve mais 30 por cento de pessoas, relativamente ao ano anterior
Os museus da Guarda e de Castelo Branco entraram para a lista dos espaços tutelados pelo Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) que alcançaram subidas de visitantes, no primeiro semestre deste ano. De acordo com os dados que do IMC, na cidade mais alta os visitantes subiram 31 por cento, enquanto que Museu Francisco Tavares Proença Júnior registou um aumento de 30 por cento.
O balanço de visitantes destas infra-estruturas e dos palácios mostra que acompanham a Beira Interior na subida de variação relativa foram, o Museu D. Diogo de Sousa (Braga) com 232 por cento e o Museu Nacional do Teatro, em Lisboa, com 29 por cento. Em termos globais, houve mais um por cento de visitantes, nos primeiros seis meses do ano, correspondendo a quase um milhão e 100.

MUSEU DOS COCHES: O MAIS VISITADO
“O Museu Nacional dos Coches continua a liderar o universo dos museus com 122.489, seguido do Museu Nacional de Arqueologia, com 61.696, do Museu Monográfico de Conímbriga com 48.286 visitantes e do Museu Nacional de Arte Antiga com 46.984 visitantes”, de acordo com uma nota do Instituto público.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

“Colchas de Castelo Branco”: exposição temporária no MFTPJ*



Exposição Temporária:
“Colchas de Castelo Branco”
da Oficina Escola de Bordados Regionais na colecção do MFTPJ

Museu de Francisco Tavares Proença Júnior
Instituto dos Museus e da Conservação, I.P.

De 25 de Julho a 28 de Setembro 2008


O Bordado de Castelo Branco assume-se hoje como uma referência cultural da Identidade Regional e constitui um Património que importa preservar, estudar e divulgar.
O Bordado de Castelo Branco, onde se denotam influências orientais principalmente chinesas e indianas, assume características muito próprias quer ao nível dos desenhos e da organização das composições, dos pontos utilizados, da paleta de cores e das matérias-primas (seda e linho).
A Oficina-Escola de Bordados Regionais do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, criada em 1976, com o objectivo de produzir, estudar, conservar e divulgar o Bordado de Castelo Branco, constitui hoje um centro de produção de excelência servindo de referência para a produção de Bordado Regional.
As peças expostas no Salão Nobre do Museu são alguns exemplares produzidos pela Oficina-Escola e que integram a colecção do Museu e que resultam da criatividade e do génio das bordadoras que diariamente perpetuam o Bordado de Castelo Branco.

MFTPJ
Castelo Branco, 17 de Julho 2008
*
*Nota:
Informação enviada pela Direcção do MFTPJ.

domingo, 6 de julho de 2008

Lusitânia: História e Etnologia



Lusitania: historia y etnologia, de Luciano Pérez Vilatela, Madrid: Real Academia de La Historia, 2000 (Bibliotheca Archaeologica Hispana, 6). ISBN: 978-84-89512-68-9

Uma das obras mais recentes que podem ser consultadas na Biblioteca D. Fernando de Almeida do MFTPJ de Castelo Branco.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Reunião do Grupo de Trabalho da Rede Cultural/Carta Patrimonial em Vila Velha de Ródão esta tarde


CONVOCATÓRIA

Assunto: Próxima reunião da Rede Cultural/Carta Patrimonial

Na sequência do envio do Memorando sobre a última reunião realizada em Castelo Branco, venho relembrar a próxima reunião a realizar em Vila Velha de Ródão, na Casa das Artes e Cultura do Tejo, na próxima 5ª Feira, às 14,30 horas, com a seguinte Ordem de Trabalhos:
1. Ponto de situação sobre o Catálogo de bens culturais/Rede Cultural. Programação da recolha de textos e deslocações para as fotografias;
2. Fundo Local de Documentação/Catálogo de publicações sobre a Beira Baixa (desenvolvimento);
3. Inventário do Património. Fichas e estratégia.
4. Visita ao Castelo de Ródão (recentemente reconstruído).


Lopes Marcelo

Epigrafia Lusitano-Romana do Museu Tavares Proença Júnior: em livro



Epigrafia Lusitano-Romana do Museu Tavares Proença Júnior, por José Manuel Garcia, uma edição do MFTPJ, em 1984.
Está à venda no museu e existe para consulta na sua biblioteca.

Cem anos de investigação arqueológica no Interior Centro: notícia sobre o congresso



Notícia publicada no "Povo da Beira" a 4 de Março de 2008 sobre o Congresso Internacional "Cem anos de investigação arqueológica no Intertior Centro" levado a cabo pela Sociedade de Amigos do Museu de Francisco de Tavares Proença Júnior e pelo Museu de Francisco de Tavares Proença Júnior, anunciando a sua realização de 17 a 19 de Abril, em Castelo Branco, no Museu.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Boletim Informativo da SAMFTPJ, N.º 1









Boletim Informativo da Sociedade de Amigos do Museu de Francisco Tavares Proença Júnior, n.º 1.